Galleria dell’Accademia: Aqui está o que ver

Ratto di Proserpina Bernini

Galleria dell’Accademia em Florença é tão cheia de extraordinárias obras de arte, que é grande o risco de perder alguma coisa. Razão pela qual, não se deve, absolutamente, chegar despreparado na entrada. Então, pensamos em oferecer-lhe uma bela lista com todas as coisa para ver em cada sala, de sorte que você não passe diante de uma incrível obra de arte, sem sequer perceber.

À Galleria dell’Accademia se tem acesso pela via Ricasoli, normalmente não sem ter feito um pouco de fila, cujo comprimento  varia muito de acodo com as estações do ano. De qualquer forma, definitivamente, vale a pena esperar um pouco para entrar no templo sagrado da arte renascentista.

Apenas você entra, se encontra no Salão do Colosso, assim chamado porque no século XIX se encontrava um imponente gesso de um dos Dioscurios realizados por Montecavallo. Agora em seu lugar, para atrair imediatamente a atenção do visitante tem o grupo do Rápto das Sabinas em gesso executado por Giambologna, cuja versão em mármore de Carrara se encontra na Loggia dei Lanzi, na Piazza della Signoria. Na mesma sala, você pode admirar a pintura de Paolo Uccello que representa cenas da vida monástica e a obra  “Santo Stefano fra i Santi Jacopo e Pietro” realizada por Ghirlandaio. Observe em seguida a “Madonna con Bambino, San Giovannino e due Angeli” realizada em 1468 por Sandro Botticelli, em que um dos dois anjos em segundo plano olha diretamente o visitante envolvendo-o na cena.

 

Compre Bilhetes online

Após o Salão do Colosso se chega nas Salas Florentinas, uma área realmente fascinante, rica de admiráveis pinturas. Entre as obras a ser observada tem o afresco destacado do "Cristo in Pietà" de Andrea del Sarto que se encontra no convento da Santíssima Annunziata.Em seguida, é impossível não notar o imponente "Deposizione" iniciada por Filippino Lippi e terminada, depois de sua morte, por Pietro Perugino. Finalmente, detenha-se na obra “Venere e Amore” de Iacopo Pontormo pelo desenho de Michelangelo Buonarroti.

Das Salas Florentinas, passamos em seguida, à Galleria dei Prigioni onde se encontram quatro esculturas de Michelangelo chamadas, precisamente, “Prigioni” que o artista havia iniciado para a tumba monumental do Papa Giulio II mas que, por uma série de circunstâncias, nunca havia terminado. Ao lado dos Escravos se encontra a estátua de San Matteo iniciada por Michelangelo em 1505 e unca terminada. Não seja pego pela ansiedade de ver o David e teder-se antes de admirar a "Pietà Palestrina", uma das quatro Pietà escupidas por Michelangelo no decorrer de sua vida.

Finalmente aqui estamos na presença do David, a mais famosa estátua de Michelangelo que representa o jovem no momento antes de arremessar a pedra contra Golias Normalmente a estátua é cercada por dezenas de pessoas mas, com um pouco de paciência, é possível vê-la bem de todos os ângulos. A visita termina aqui, com a certeza de não haver perdido pelo menos as obras mais significativas, mas naturalmente aquelas alojadas no museu são muito mais.

Compre Bilhetes online